Memorial do padre Rodolfo pode ser visitado a partir desta terça

Romulo Paula (esq.) e o padre Mauricio Miranda com as relíquias do Pe.Rodolfo: memorial é aberto para visitação – Foto: Adenir Britto/PMSJC

A partir desta terça-feira (12) estará aberto para visitação pública o memorial do Padre Rodolfo Komorek, que fica nas dependências do Parque Vicentina Aranha. O espaço, que é exatamente o quarto onde o sacerdote ficou internado e faleceu, em 11 de dezembro de 1949, foi oficialmente reaberto nesta segunda-feira (11), com a presença de autoridades, convidados e devotos do “Padre Santo”, como ele é popularmente conhecido.

A reabertura do memorial foi precedida de um bate-papo sobre a sua vida e obra, com a participação do antropólogo Hugo Ricardo Soares, do teólogo padre Maurício Tadeu Miranda, pároco da Paróquia Sagrada Família, do secretário da vice postulação da Causa do Padre Rodolfo, Rômulo Paula, e do presidente da AFAC, Aldo Zonzini Filho.

“Padre Rodolfo deixou um legado para todos os homens de boa vontade. Padre Rodolfo nos ensinou a entender a vida e a existência como um ato de oblação, um ato de entrega. Ele viveu a vida para o bem dos outros” disse o padre Maurício.

“Aprendi a admirar a figura do padre Rodolfo. Nesse tempo de pandemia, fico me perguntando onde estaria hoje o padre Rodolfo, e certamente ele estaria ao lado dos doentes”, completou o antropólogo Hugo Ricardo Soares, historiador e escritor, autor do livro ‘Do Cemitério ao Altar – Um estudo sobre a devoção e o processo canônico do Padre Rodolfo Komorek’, lançado pelo Museu do Folclore de São José dos Campos em julho deste ano, como 27º volume da Coleção Cadernos de Folclore.

Rômulo Paula fez um breve relato sobre o processo que compreende a causa de beatificação. “Estamos aguardando o milagre da beatificação. Pelos menos 12 mil graças já foram alcançadas, mas a Santa Sé exige algumas regras. A maioria das pessoas não se preocupou em guardar toda a documentação exigida para se comprovar um milagre e isso atrasa um pouco o processo. Mas hoje temos milagres que estão em estudo e análise”, afirmou.

Durante o evento, a Paróquia Sagrada Família lançou uma nova edição da biografia ‘Rodolfo Komorek: o Padre Santo’. Após o descerramento da placa comemorativa, o padre Carlos Galhardo se encarregou da benção e o padre Mauricio depositou as relíquias no interior do memorial. A solenidade foi acompanhada de apresentações do Quarteto de Cordas Luzes da Ribalta.

O memorial estará aberto diariamente das 9h às 19h. E até o fim do mês, aos sábados e domingos, a paróquia disponibilizará um monitor para receber e apresentar o memorial aos visitantes.

O evento foi uma realização da AFAC (Associação para o Fomento da Arte e da Cultura) e da Paróquia Sagrada Família, com apoio da Prefeitura.

Parque Vicentina Aranha

Rua Prudente Meireles de Moraes, 302, Vila Adyana.
Telefone para contato: (12) 3341-5696.

Assessoria de Imprensa
Nei José Sant’Anna | Fundação Cultural Cassiano Ricardo
+55 12 3212-1322  •  nei.jose@sjc.sp.gov.br