Ludmila Saharovsky
Ternura antiga

Ternura antiga

Eu te convido à minha casa. Entra!
Pousa teu olhar sobre as videiras.
Eu as plantei para saciar-te a sede.
E o pão também é teu
São teus o vinho e o lume.

Leia Mais

Curta nossa página

Últimas Edições

Edição 56
Revista Absollut Edição 55
Edição 54
Edição 52

Instagram